Como funciona a troca de um produto com defeito

Você precisa fazer a troca de um produto com defeito? Neste post trazemos um guia completo com todas as orientações para você conseguir a substituição do produto ou a devolução do dinheiro


Qualquer consumidor pode ter a experiência de comprar algo que tenha defeitos; isso pode ocorrer com qualquer tipo de compra: pode ser roupas, móveis, brinquedos, etc. Entretanto, outra coisa comum é que os consumidores tenham problemas para trocar esses produtos: em certos casos, as lojas criam diferentes empecilhos para que a troca não seja feita.

É por isso que a Fundação Procon criou várias dicas para que os consumidores evitem dificuldades para trocar produtos. Deve-se lembrar em qualquer tipo de compra e, se houver dúvidas, o cliente pode conversar com o Procon da cidade.


Avaliação antes de comprar o comprar o produto

Antes de citar as dicas para a troca dos produtos, sé interessante dizer que os consumidores devem avalia-lo antes da compra: é verdade que muitas lojas exibem apenas os itens de mostruário e aquele entregue ao cliente vem do estoque, ou seja, é outro produto. Entretanto, vale a pena que se peça para abrir a caixa e observe se há rachaduras nos plásticos, se há áreas rasgadas, emboloradas ou com qualquer tipo de avaria.

No caso de ser um brinquedo que use pilha, ou qualquer outro eletrônico desse tipo, é recomendado pedir ao funcionário que o ligue na loja. Para evitar que ele alegue não possuir pilhas, o cidadão pode levá-las.

Como funciona a troca de um produto com defeito


O que fazer após descobrir o defeito do produto?

Via de regra, as lojas costumam aceitar as trocas em um período de um mês, mas sempre com a nota fiscal. Esse é o primeiro destaque dentre as dicas do Procon: nunca se deve jogar a nota fiscal fora. Nem sempre o fabricante vai escolher trocar o item: dependendo do que for, ele pode propor o conserto.

Para itens como roupas, é certo que as lojas preferem a troca. Mesmo com os trinta dias de prazo para que os cidadãos reclamem nas lojas, é melhor que se faça a troca ou solicitação de conserto o mais rápido possível: quando demora muitos dias, pode-se ter a desconfiança de que a avaria não é de fábrica e sim por causa de uso.


Compra virtual também tem troca por produto com defeito?

Sim e, além da troca, existe a lei do arrependimento: uma vez que o consumidor comprou aquilo à distância, seja pelo site ou até mesmo por catálogos, é possível que ele fique decepcionado quando ocorre a entrega.

Nessa situação, o cliente pode “arrepender-se” em um prazo de uma semana, destacando-se que é necessário escrever uma declaração explicando o porquê da insatisfação e dizendo que se quer devolver. Com essa lei, as lojas pagam de volta o valor completo do produto comprado e o seu frete.

Quando o consumidor não quer fazer devolução, mas só quer trocar, também costuma valer o mês de prazo. Entretanto, cada loja pode ter uma política de troca diferente e é preciso consulta-la. Vale dizer que a lei do arrependimento também é usada para compras via televendas.


Troca de produtos essenciais com defeito

O período para troca é diferente quando se trata de produtos essenciais. Primeiro, cabe explicar quais são esses produtos: são aqueles fundamentais para o dia a dia daquele consumidor, como a sua geladeira (se ela não estiver em funcionamento perfeito, a comida é perdida em poucas horas), cadeira de rodas, equipamento respiratório, fogão, etc. Sendo um produto essencial, o vendedor não tem o mês de prazo: é preciso que ele faça a troca ou a devolução de forma imediata.

Como funciona a troca de um produto com defeito


Retorno do valor exato do produto com defeito

Se o cliente estiver trocando a sua compra por alguma coisa exatamente igual, o valor dela também terá de ser igual. Dessa maneira, é ilegal que a loja diga que ele está mais caro, por exemplo: se não houver um item completamente igual, ela tem de devolver o dinheiro e nunca tentar fazer com que o consumidor fique com algo mais caro, já que ele precisará completar o valor. É claro que, se o cliente preferir, ele pode escolher algo mais caro e completar o preço, mas isso precisa ser uma escolha do consumidor.


Precauções para casos de troca de produtos com defeito

Todas as pessoas que fazem compras podem precisar trocar ou devolver o produto, mas as formas de as lojas lidarem com esse direito do consumidor são diferentes. Por isso, o cliente precisa pesquisar um pouco sobre aquela loja, exatamente para saber se o local dificulta as trocas, se ela respeita a garantia, etc. Também se indica comprar itens mais caros em estabelecimentos de confiança.

Assim como foi indicado que os consumidores abram seus produtos antes de sair da loja e que os testem, também é necessário que eles confiram se o documento de garantia está sendo mandado. Vale consultar com atenção quantos dias são citados nessa garantia.

O consumidor deve ter certeza de que a data da compra está mencionada na nota fiscal: essa será a forma de atestar para a loja que se está dentro do período de garantia.

Procons

O Procons.com.br é um site não-oficial e não representa as unidades dos Procons no Brasil. A página traz informações sobre atendimento e serviços disponibilizados pelo órgão.